Make your own free website on Tripod.com

TRAUMA NA CRIANÇA

No mundo inteiro, a maior causa de morte na infância é o trauma, e para cada óbito outras três crianças ficaram com seqüelas graves.

Temos como criança traumatizada as quem tem a faixa etária de 0 a 13 anos completos. São varias as características fisiológicas e psicológicas que as fazem diferente das pessoas adultas.

Lembre-se: criança não é um adulto pequeno.

As crianças possuem reações diferente às situação estranha que as envolvem, seja uma pessoa diferente ou uma situação diferente.

O profissional ao atender uma criança vitima de trauma deve ser gentil, paciente, carinhoso e demonstrar segurança. Fazendo isso você ganhará vínculo e colaboração da criança, favorecendo o atendimento.

Os curativos, mobilizações e tratamento deve ser previamente explicado, e feito com cuidados.

Os pais e conhecidos da criança devem ficar com ela.

 

DIFERENÇA ENTRE ADULTO E CRIANÇA

A criança tem maior área de tecido corporal e menor quantidade de tecido adiposo e conectivo, logo tem maior probalidade de troca de calor, logo tem maior tendência a hipotermia, podendo ser grave para vítima.

Por causa da menor massa corporal da criança, a energia aplicada pelo trauma é absorvida mais intensamente pelo corpo, resultando em traumas múltiplos.

As crianças possuem seus esqueletos parcialmente calcificado e em fase de crescimento, tendo assim uma flexibilidade maior, Com isso, geralmente uma lesão dos órgãos internos vem sem fraturas.

As lesões nas crianças costumam levar uma morbidade, pois influência em seu desenvolvimento futuro ( crescimento).

 

 

Atendimento em crianças.

Ventilação

Na criança traumatizada sempre deverá ser ofertado oxigênio suplementar ( 10 a 12l).

A ventilação na criança segue uma seqüência de 20mrpm e no recém-nascido de 40mrp.

Choque

Se manifesta na criança um pouco tarde, por apresentar uma reserva fisiológica maior (diferente do adulto.).

Deve-se procurar os sinais precoce do choque ( taquicardia e perfusão capilar irregular acima de 2 seg.), atentar para palidez e cianose.

A criança pode apresentar choque descompensa de acordo com os sinais apresentados acima, causando um hipotensão arterial, que se manifesta após 30% da volemia perdida.

TCE

O traumatismo cranioencefálico é freqüente em crianças, devido ao fato de a cabeça ser mais pesado que o corpo.

Nos ferimentos na cabeça, devemos atentar para as hemorragias do couro cabeludo que pode levar à perda sangüínea, causando assim o choque.

Sintomas comuns de TCE

Vômito e convulsões

Trauma tórax

A parede torácica é bastante flexível, no entanto as fraturas de costela são raras, e quando freqüente, indicam trauma violento.

É freqüente as lesões de pulmões, coração e grandes vasos, mesmo sem fraturas.

 

Mais uma vez: Criança não é um adulto pequeno, lembre-se!!!!!!!!!!