Make your own free website on Tripod.com

 

 

                                                               

 

 

OBJETIVO DO SITE

Este Site tem por objetivo mostrar as pessoas os conceitos e técnicas básicas de Pronto Socorrismo. Após conhecer as técnicas e conceitos aqui tratados, o socorrista terá subsídios para proporcionar às vítimas de acidentes e traumas o suporte básico da vida. Para tanto, aliado à teoria apresentada neste capítulo, o socorrista deverá receber treinamentos práticos constantes, sem os quais jamais irá adquirir a segurança necessária para um bom desempenho no atendimento a acidentados.

Referencias:

Manual Fundamentos Básico do Corpo de Bombeiros /SP

Trauma: Atendimento Pré-Hospitalar Ed. Atheneu

Guidelines atualizada em American Heart Association (Academia Americana do Coração)

BAIXE AQUI O PEQUENO CURSO DE SBV-PAPH


 

American Heart Association Guidelines for Cardiopulmonary Resuscitation and Emergency Cardiovascular Care

Associação Americana do Coração para Ressuscitação  e Emergência Cardiovascular

 Resumo

 

O autor da “2005 AHA Guidelines for CPR and ECC-(Academia Americana do Coração e Diretrizes 2005 para Parada Cardio-Respiratória e Emergência Cardio Vascular) simplificou a seqüência para o SUPORTE BÁSICO DE VIDA aplicado por profissionais de socorrismo. E para minimizar as diferenças nos passos e nas  técnicas aplicadas em caso de PCR ficam expostos o seguinte:

 

·        A compressão/ventilação universal (recomendada) é de 30:2, tanto para bebês, crianças ou adultos. (exceto para recém-nascido).

 

 

·        Para vitimas de todas as idades com suspeita de Parada cardíaca o socorrista  aplicará 5 ciclos (cerca de 2 minutos) de RCP. Para cada ciclo recomenda-se revezamento.

 

 

·        No caso de apenas parada respiratória, aplique 2 respirações de resgate, e só depois o socorrista  tentará sentir o pulso da vitima inconsciente isso  não durará  mais do que 10 segundos. Se não detectado o pulso em 10 segundos, será iniciado ciclos de RCP. A cada 5 ciclos verificar o pulso novamente.

 

 

 

·        O socorrista deverá  aplicar a respiração de resgate (2 resp) sem compressão torácica em vítimas com parada respiratória  e sem  perfusão capilar (mas com pulso). A Respiração de Resgate sem compressão torácica será aplicada em  ritmo de 10 a 12 respirações por minuto para adultos e 12 a 20 rpm para bebês e crianças.

 

·        Instruções para Respirações de Resgate: seja qual for o tipo de Respiração aplicada ( boca-a-boca, boca-máscara, etc) deverá ser iniciada com 2  insuflações  com  duração de aproximadamente  1 segundo de modo que a expansão torácica tenha um aumento suficiente. 

 

·        Houve um aumento maior na importância para as compressões torácicas: O Socorrista deve pressionar forte, e rapidamente, ou seja, pressão seriada e rítmica sobre metade inferior do esterno, declina o tórax cerca de 4-5cm, avaliação do pulso central, compressões seguidas de 2 respirações lentas (a uma taxa de 100 compressões por minuto) e após 5 ciclos fazer nova  avaliação 

CHECANDO RESPIRANÇÃO E RESPIRAÇÃO DE RESGATE

 

 

Quando socorrista checa a respiração em uma vitima adulta inconsciente, ele estaria procurando a normalidade da respiração. Isto ajuda o socorrista a distinguir entre uma vítima que está respirando (e que não requer RCP) e uma vítima com parada respiratória (que  provavelmente necessitaria de uma RCP)

 

Bebês e crianças não têm um padrão normal de respiração.

O socorrista deverá ministrar a forma mais adequada para manter a respiração em um adulto. Alguns pacientes irão demonstrar uma respiração inadequada que exigirá uma ventilação assistida.

(Traduzido por Edney Matos)

Extraído Originalmente  da  Guidelines atualizada American Heart Association (clique aqui e veja o documento original, em inglês)

 


Lembre-se

"Vítimas que receberam cuidados definitivos até uma hora após sofrer o trauma têm maiores chances de sobrevida do que aqueles que chegaram no hospital após uma hora. HORA OURO"